A direção do Hospital Regional de Sorriso ameaça paralisar as cirurgias eletivas caso o governo do Estado não realize o repasse de verbas que estão em atraso. O valor devido chega a R$ 6 milhões. As cirurgias que estavam marcadas para esta manhã foram remarcadas, mas os procedimentos voltaram ao normal esta tarde. A direção da unidade está dando um voto de confiança à administração estadual. A assessoria não confirmou desde quando os repasses deixaram de ser feitos à unidade, que é administrada desde março de 2012 pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH). Em média, o hospital regional realiza dez cirurgias eletivas por dia. O número de procedimentos que podem ser paralisados não foi confirmado. Segundo informações da assessoria, a direção do hospital prometeu dar todas as explicações sobre o possível cancelamento das cirurgias e a dívida do governo em uma coletiva de imprensa, na manhã de quarta-feira (4) A unidade atende pacientes de pelo menos 15 municípios da região Norte do Estado. No local, são realizados cerca de 1,8 mil atendimentos ambulatoriais e cerca 250 cirurgias por mês.