Quem quer entrar na faculdade, mas não tem condições de bancar um curso de graduação não precisa desistir da carreira! Hoje existem alternativas para cobrir os gastos das mensalidades. Além de Fies e ProUni, do Governo Federal, as bolsas de estudo oferecidas pela iniciativa privada também são maneiras de ingressar no ensino superior.

Fies

Subsidiado pelo Governo Federal, o Fies é um programa de financiamento para estudantes de instituições privadas. A taxa de juros é de 6,5% ao ano para todos os cursos e a porcentagem de financiamento pode variar conforme o valor da mensalidade, que pode chegar até 100%.

Quais são as exigências do Fies?

Entre outras regras, os alunos devem ter feito o Enem a partir de 2010 e obtido média aritmética acima de 450 pontos. Também é necessário ter renda familiar mensal bruta per capita inferior a três salários mínimos e não ser um beneficiário integral do ProUni.

Como é feito o pagamento do financiamento?

Durante o curso, é cobrado, a cada três meses, um valor de até R$ 150, referente ao pagamento de juros sobre o financiamento. Depois de formado, o beneficiário terá 18 meses de carência, ou seja, nesse período, continua pagando, também a cada três meses, o valor máximo de R$ 150. Depois, o saldo devedor será parcelado em até 3 vezes o período financiado do curso. Por exemplo, se o aluno financiou 4 anos de faculdade, poderá parcelar em até 12 anos o que ainda falta pagar.

ProUni

É um programa do Governo Federal que concede bolsas de estudos integrais ou parciais em universidades privadas. Para concorrer à bolsa, o candidato precisa ter feito o Enem e obter uma nota mínima no exame, estabelecida pelo governo. Além de outras exigências, também é necessário ter uma renda familiar de até três salários mínimos por pessoa.

Quem pode se inscrever no ProUni?

O programa é destinado a alunos que fizeram o ensino médio em escolas públicas ou em escolas particulares com bolsa integral, pessoas com deficiência e professores da rede pública de ensino básico. A inscrição e a pré-seleção são feitas pelo MEC. O candidato pode escolher a modalidade de bolsa e até cinco opções de instituições de ensino. A classificação é baseada nas notas obtidas no Enem.

Os estudantes têm que pagar algo?

Depende do benefício. Se a bolsa for integral, o programa cobre 100% da mensalidade.

Bolsa de estudos

Há inúmeras modalidades de bolsas de estudo. No caso do Educa Mais Brasil, um dos mais consolidados programas privados de bolsas educacionais do país, os descontos são de até 70%. O processo é bastante simples: basta entrar no site, se cadastrar e escolher um curso e a faculdade de interesse. São mais de 15 mil instituições de ensino parceiras.

Preciso ter feito o Enem para me inscrever?

Não. Você só precisa indicar qual curso gostaria de fazer e em qual modalidade. O Educa Mais Brasil fará uma avaliação de cada caso, para dar prosseguimento à concessão da bolsa. Os alunos precisam ser aprovados no processo seletivo da instituição da sua escolha e ter condições de pagar a porcentagem restante da mensalidade do curso que deseja fazer.

Como o Educa Mais Brasil viabiliza bolsas de estudos?

Em parceria com instituições de ensino privadas, o Educa Mais Brasil concede bolsas de até 70%. “Diferente do Fies, ao fim do curso e não havendo pendências financeiras, você não precisa pagar mais nada. Pode sair da faculdade sem dívidas, preocupações e focado no mercado de trabalho. Esse é o diferencial do nosso modelo”, explica a gerente comercial do Educa Mais Brasil, Andréia Marques.

Agora que você já sabe as principais diferenças entre cada modalidade, pode escolher a que se encaixa melhor em seu perfil e orçamento!