A greve dos servidores da saúde de Peixoto de Azevedo completou 11 dias nesta segunda-feira (29-09).

A reivindicação é por recomposição salarial de 21.36%, referente aos anos de 2013, 2014 e 2016, a qual não foi paga na gestão do ex-prefeito de Peixoto.

Segundo Jurucei Mendes presidente da comissão da greve a classe recebeu uma contraproposta do executivo, mas não foi aceita por eles, e a partir daí não houve mais contato do poder público, por isso eles continuam aguardando na praça em frente ao Paço Municipal.

Por outro lado o prefeito Mauricio de Souza realizou durante a tarde uma coletiva de imprensa em seu gabinete falando sobre o assunto, ele se diz solidário a classe, no entanto segundo ele, é impossível atender a reivindicação dos servidores:

“Nós somos cientes da situação, e eu sou totalmente solidário aos servidores da saúde , tanto é que nós estamos pagando todos os direitos que eles têm, na nossa gestão. Essa cobrança de 21.36% é referente a gestão passada. Nós apresentamos a classe uma proposta de pagarmos 8% durante a nossa gestão, sendo 2% esse ano, 3% em 2019 e 3% em 2020. Isso é tudo o que nós podemos nesse momento, mas infelizmente eles não aceitaram. Eu quero dizer que se trata de 200 à 300 mil reais a mais na folha de pagamento da saúde, e eu não tenho de onde tirar. A folha hoje está em torno de um milhão e cem mil reais, isso já está praticamente estourando o meu limite de 54%, e se caso eu estourar esse limite eu responderei por improbidade administrativa, a lei de fiscalização fiscal existe para que eu não ultrapasse o valor permitido em cada setor;” disse o gestor peixotense.

Uma reunião com a promotoria pública está agendada com os representantes do poder público e a classe dos servidores e deverá acontecer nesta quarta-feira dia 26/09.

“Nossa procuradoria Municipal está trabalhando, inclusive uma reunião com o promotor de justiça está agendada para esta quarta-feira, junto aos servidores para que a promotoria pública interfira e nos auxilie nessa negociação;” falou Maurício.

E pra finalizar o prefeito fez um pedido para que os funcionários voltem a trabalhar.

“Eu quero pedir a vocês servidores da saúde para que vocês voltem a trabalhar, eu sou solidário a vocês, se eu pudesse eu pagava esse valor integral de uma só vez, mas eu preciso ser responsável, eu preciso agir dentro das minhas possibilidades reais, e infelizmente essa reivindicação está fora da realidade do município, então eu faço esse apelo, que nessa reunião de quarta-feira nós possamos entrar em um acordo e que vocês voltem a trabalhar porque a população precisa de vocês;” finalizou o prefeito.