Ofício a Janot revela que Chico Lima fez delação premiada ao MPF

O procurador aposentado Francisco Andrade Lima Filho, o “Chico Lima”, firmou acordo de colaboração premiada com o Ministério Público Federal (MPF).

A informação está contida em ofício enviado no ano passado pela procuradora da República Vanessa Scarmagnani, que atua no Estado, para o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

“Ao tempo em que o cumprimento, envio documento relativo à colaboração premiada de Francisco Gomes de Andrade Lima Filho”, escreveu a procuradora.

Chico Lima é réu em várias ações penais sob a acusação de ser um dos principais articuladores de esquemas ocorridos durante a gestão do ex-governador Silval Barbosa.

As denúncias contra ele dão conta de que além de lavar dinheiro de desvios e propinas, Chico Lima também elaborava pareceres sob encomenda para viabilizar os crimes.

Os rumores sobre a delação surgiram no ano passado em razão de o procurador ter trocado seus advogados de defesa sem nenhum motivo aparente.

Em uma audiência, a juíza Selma Arruda chegou a questionar a defesa se Chico Lima já havia assinado a delação, tendo seu advogado respondido que “a princípio não”, reforçando os indícios de que a colaboração estava, de fato, sendo acertada.

O procurador já foi condenado na ação penal derivada da 1ª fase da Operação Sodoma. Ele recebeu a pena de 15 anos e seis meses de prisão, pelos crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro. Na sentença, a juíza mencionou que, se pudesse, Chico Lima teria “vendido” o Estado.