Cinco crianças, entre 7 a 11 anos, denunciaram o idoso à polícia. Suspeito foi encaminhado para presídio e negou ter cometido os crimes.

O idoso que foi preso na quarta-feira (12) suspeito de abusar de, pelo menos, cinco crianças no Bairro Mangabeira, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, foi encaminhado ao Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), antigo Presídio do Carumbé. As vítimas têm entre 7 e 11 anos.

Ao ser preso, ele foi reconhecido pela assistente social que acompanhava o caso das crianças abusadas. Ela declarou que também foi estuprada por ele quando era criança, há 30 anos. A vítima tinha 12 anos quando foi violentada.

Segundo ao delegado responsável pelo caso, Cláudio Alvares Sant’Ana, da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Idoso de Várzea Grande (DEDM-VG), Silvino José dos Santos, de 71 anos, negou os crimes.

“Há 30 anos ele foi acusado de estuprar uma criança. Hoje ele está sendo acusado novamente por cinco crianças. É o mesmo modo de agir”, declarou Alvares.
As investigações começaram há seis meses quando uma menina de 11 anos confessou à mãe que era abusada pelo idoso. A vítima é vizinha do suspeito e disse que ele oferecia doces e dinheiro. Também contou que os abusos ocorriam na casa dele.

Todos os depoimentos das vítimas são contundentes e parecidos. Em todos os casos, conforme a polícia, o idoso criava um vínculo de amizade com as vítimas e oferecia dinheiro, doces e presentes para as crianças.

Silvino era ameaçado por uma facção criminosa e foi preso na casa do filho dele, no Bairro Altos da Serra, em Cuiabá. A DEDM-VG continua as investigações para identificar outras vítimas do suspeito.

Assistente social
A assistente social que fazia parte do grupo que atendia as crianças abusadas, ao se deparar com o nome do suspeito, entrou em desespero.

Ela denunciou que há 30 anos, quando ela tinha 12 anos, também foi vítima de estupro praticado pelo mesmo homem.

A assistente social disse que o idoso agia da mesma maneira quando ela foi abusada na infância. Ele também oferecia presentes para se aproximar das crianças e cometer os abusos.