Ataque foi justificado como reação ao incêndio de um posto de atiradores de elite israelense provocado por palestinos; alvos seriam pontos do Hamas.

A Força Aérea de Israel bombardeou nesta quarta-feira (23) vários pontos da Faixa de Gaza, incluindo o porto e um túnel usado pela organização islâmica Hamas. Não há relatos de vítimas até o momento.

Os ataques foram motivados por um incidente ocorrido ontem, quando palestinos de Gaza cruzaram a cerca da fronteira e queimaram um posto de atiradores de elite, afirmou o Exército israelense em comunicado.

Fontes palestinas indicaram que as explosões foram registradas em postos do Hamas na parte central e norte da Faixa de Gaza, assim como no pequeno porto localizado no leste da região. Segundo a rádio nacional israelense “Kan”, os bombardeios destruíram pelo menos dois barcos de pescadores.

Este ataque aconteceu poucas horas depois de um tanque israelense ter disparado ontem contra um posto de observação do Hamas – a primeira resposta à infiltração de palestinos.

Israel considera o Hamas, que governa de fato Gaza desde 2007 e tido como organização terrorista também pela União Europeia e Estados Unidos, como o responsável da violência na Faixa.

As tensões na fronteira aumentaram desde o dia 30 de março, quando começaram os protestos na Grande Marcha do Retorno, nas imediações da cerca que separa Gaza de Israel.

O dia mais violento foi no último dia 14, quando tropas israelenses mataram 60 palestinos que manifestavam contra a nakba, a referência à independência de Israel, em 1948, e à inauguração da embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém.