Juliano Antônio Viane Grassi, de 24 anos, foi morto a tiros no dia 20 de abril desse ano, na linha 4G da Gleba União, interior de Matupá.

Dois suspeitos de envolvimento na morte do jovem Juliano Antônio Viane Grassi, de 24 anos, foram presos nesta segunda-feira (11), em Matupá. Os dois homens, pai de 54 anos e o filho de 24 anos, foram presos com uma espingarda calibre 28 e várias munições. A identidade dos suspeitos ainda não foi divulgada. 

Juliano foi morto a tiros no dia 20 de abril desse ano, na linha 4G da Gleba União, interior de Matupá. Ele estava em sua residência, juntamente com demais familiares, quando chegou um veículo Parati de cor verde. Os ocupantes do veículo chamaram e começaram a perguntar informações sobre um suposto vizinho. 

Após alguns momentos de diálogo, um dos ocupantes do carro se apossou de uma espingarda e desferiu vários disparos contra Juliano. 
Depois da ação os suspeitos fugiram tomando rumo ignorado. Segundo as testemunhas, havia mais de duas pessoas no veículo. 

Juliano foi atingido pelos disparos, no tórax e no braço, o mesmo foi socorrido e encaminhado ao hospital Municipal de Matupá, porém não resistiu e veio a óbito. 

No local a uma disputa de terra e a vítima já havia recebido ameaças de um vizinho que é suspeito de grilagem na região.