Judite Nunes considerou ilegal a paralisação da categoria.

Após pedido da Procuradoria-Geral do Estado do Rio Grande do Norte, a desembargadora Judite Nunes considerou ilegal a paralisação das polícias Civil e Militar, além do Corpo de Bombeiros do Estado em razão da falta de pagamentos dos salários de novembro.

Em sua decisão, tomada no plantão judiciário, na tarde de domingo, ela determinou que retornem imediatamente para suas funções, com multas diárias de 2 mil a 30 mil reais para associações e sindicatos que representam as categorias.

Desde do dia 19, militares não deixam os quartéis. A Polícia Civil aderiu ao movimento um dia depois. Desde então, o patrulhamento na capital Natal é feito por policiais da Força Nacional. As associações representativas ainda não receberam o comunicado oficial da desembargadora.