João Pedro, de 13 anos, supostamente teria praticado bullying contra atirador; mãe diz estar ‘despedaçada’ e pede também respeito ao luto da família.

A mãe de uma das duas vítimas do atirador de Goiânia fez uma homenagem e um pedido público em rede social neste sábado. Barbara Melo, mãe do menino João Pedro Calembo, de 13 anos, publicou, neste sábado à tarde, uma foto em que aparece ao lado do filho, junto com um texto em que comenta a tragédia.

“Não julgue o nosso filho, a nossa família, pelas notícias que você tem lido. Nós e a escola sabemos que não foi assim. Somos pais presentes, disponíveis, empenhados na educação dos nossos 3 filhos. Respeitem nosso luto, somos humanos, falhos, gente que tenta acertar todos dias”, diz Barbara em post no Instagram.

O crime aconteceu na manhã desta sexta-feira no Colégio Goyases, em Goiânia. Um estudante de 14 anos, cuja identidade não foi revelada, atirou contra os colegas de sala João Pedro e João Vitor Gomes, que morreram no local. Outros quatro adolescentes ficaram feridos com os disparos, três em estado grave. O atirador foi detido pela Polícia Militar de Goiás e está apreendido na Delegação de Repressão e Apuração de Atos Infracionais.

A vida e suas reticências… não vou reclamar meu Papai do Céu… Apenas aceitarei seus propósitos. Não entendo, nunca vou entender. Não quero buscar explicações. O Senhor apenas me emprestou o João Pedro pelos melhores 13 anos da minha vida. Não julgue o nosso filho, a nossa família pelas notícias que vc tem lido. Nós é a escola sabemos que não foi assim. Somos pais presentes, disponíveis, empenhados na educação dos nossos 3 filhos. Respeitem nosso luto, somos humanos, falhos, gente que tenta acertar todos dias. Meu príncipe foi morar num lugar onde não há choro, tristeza ou dor. Nosso filho querido, amado, responsável por natureza…. Amamos vc eternamente! Estou despedaçada, mas o Senhor, no tempo dEle, me restaurará.

A post shared by Barbara Melo (@barbaravisalia) on

Segundo o delegado responsável pelo caso, Luiz Gonzaga Júnior, o atirador teria relatado que, supostamente, sofria bullying de João Pedro e que por isso havia escolhido o colega de sala como uma de suas vítimas. João Vitor seria seu amigo.

“A vida e suas reticências… Não vou reclamar meu Papai do Céu… Apenas aceitarei seus propósitos. Não entendo, nunca vou entender. Não quero buscar explicações. O Senhor apenas me emprestou o João Pedro pelos melhores 13 anos da minha vida”, escreveu Barbara ao começar o post. “Meu príncipe foi morar num lugar onde não há choro, tristeza ou dor. Nosso filho querido, amado, responsável por natureza…. Amamos vc eternamente! Estou despedaçada, mas o Senhor, no tempo dEle, me restaurará”, completa a mãe de João Pedro.

Mais cedo, o pai de João Pedro disse que já havia perdoado o atirador. “Foi uma fatalidade.”