Conheça os ex-governantes de diversos países que foram mandados para trás das grades.

A condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, anunciada nesta quarta-feira pelo juiz Sergio Moro, é novidade no Brasil, mas não no mundo. Nos últimos vinte anos, mais de trinta mandatários de diferentes países foram parar atrás das grades.

Vale lembrar ainda que outros cinco presidentes brasileiros – Hermes da Fonseca, Washington Luís, Artur Bernardes, João Fernandes Café Filho e Juscelino Kubitschek – também enfrentaram detenção, mas nesses casos, as prisões foram políticas e não por condenação da justiça.

Na sentença desta quarta, porém, Moro não decretou a prisão imediata de Lula e o ex-presidente só vai para a cadeia se um tribunal de segunda instância confirmar a condenação do juiz da Lava Jato.

Conheça os casos internacionais de maior repercussão:

Coreia do Sul

Detida em março deste ano, a presidente Park Geun-hye, foi acusada de suborno, extorsão e abuso de poder e pode cumprir pena de prisão perpétua.

Argentina

Acusado de contrabando de armas para a Croácia e o Equador, o ex-presidente Carlos Menem foi condenado a sete anos de detenção. Menem passou alguns meses em prisão domiciliar em 2001. Desde que elegeu-se senador, em 2005, o foro privilegiado o mantém livre até a decisão da Suprema Corte.

Portugal

O ex-primeiro-ministro José Socrátes foi preso preventivamente em 2014, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. O político, que ficou cerca de um ano atrás das grades, não pode sair do país.

Egito

Condenado à prisão perpétua pelas mortes de manifestantes durante a revolução de 2011, o ex-presidente Hosni Mubarak foi solto em março deste ano, depois passar apenas seis anos preso, grande parte do tempo em um hospital militar.

Israel

O ex-primeiro-ministro israelense Ehud Olmert ganhou a liberdade no início desde mês, depois de passar um ano e quatro meses preso por corrupção. Olmet foi condenado por fraude, obstrução da justiça e recebimento de propina quando foi prefeito de Jerusalém.

Outro governante israelense, o ex-presidente Moshe Katsav foi preso em 2011 por estupro e abuso sexual, crimes que aconteceram durante seu mandato. Katsav recebeu liberdade antecipada depois de cumprir cinco anos.

Paquistão

Em 2013, o ex-presidente do Paquistão Pervez Musharraf foi condenado por destituições arbitrárias de juízes e ficou cerca de seis meses em prisão domiciliar. As acusações, não comprovadas, contra ele incluem envolvimento em assassinatos de opositores e alta traição.

Guatemala

Otto Pérez Molina foi preso em 2015 por envolvimento no escândalo de corrupção conhecido como “La Línea”, que envolveu fraude, contrabando e suborno. O ex-presidente foi detido um mês depois de renunciar em decorrência das acusações.

Peru

Preso desde 2009, o ex-ditador Alberto Fujimori foi condenado por escândalos de corrupção e violação de direitos humanos. Fujimori é acusado de envolvimento em pelo menos 25 assassinatos e diversos sequestros de opositores nos anos 90.

Chile

Morto aos 91 anos, em 2006, o ex-ditador Augusto Pinochet foi preso em 1998, em Londres, por crimes de genocídio e terrorismo, mas ganhou a liberdade após pouco mais de um ano em prisão domiciliar, por motivo de saúde.