Deputado afirma que atrasos das emendas parlamentares gerado desconforto por causa de cobrança da população na base eleitoral.

O deputado estadual Oscar Bezerra (PSB) disse existir descontentamento generalizado na Assembleia Legislativa por atraso na liberação de emendas parlamentares pelo governador Pedro Taques (PSDB). A dívida atual do Executivo gira em torno de R$ 70 milhões, e sem previsão para a transferência.

“Eu não estou nenhum pouco contente com a situação. Tenho tido muitos problemas na minha região por alta do repasse para fazer alguma obra. Hoje, os deputados dependem dessa bendita emenda para agir, que é uma medida impositiva e deve receber, e se o dinheiro não vem declara que gera um descontentamento”, disse ele em entrevista à rádio Capital FM, nesta segunda (27).

“Eu estou cobrando, mas é óbvio que existe um descontentamento generalizado dos deputados, todos eles dependem da emenda para fazer alguma obra junto a sua região de votos”, complementou.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, Dilmar Dal Bosco (DEM) não negou a existência de desconforto dos deputados com o governador Pedro Taques por causa da falta de previsão para repasse das emendas parlamentares. Ele justificou que a situação é pontual, de efeito da crise econômica no país, e acredita que haja algum posicionamento do governo sobre o assunto nos próximos dias.

“É normal que haja esse desconforto porque os deputados dependem do dinheiro [das emendas parlamentares]. Mas, é preciso considerar que aprovamos agora uma PEC [Proposta de Emenda à Constituição] para reorganizar as despesas do governo. Estamos em um momento crise”, disse.

Dal Bosco, no entanto, não deixou de alfinetar o governador Pedro Taques quanto ao cumprimento financeiro com os deputados. Ele afirmou que a base do governo tem trabalhado em acordo com as ações do Executivo, cumprindo o papel de apoio. Em outras palavras, aumenta a pressão sobre Taques para cumprir sua parte do acordo de governabilidade do Estado.

“A base tem trabalhado com a aprovação de todos os projetos do Executivo, e agora com a aprovação da PEC a situação pode melhorar, e esperamos que o governo consiga liberar as emendas parlamentares”.

Ele disse ainda que o governo deve divulgar data para quitação da dívida nos próximos 15 dias. O montante em aberto varia entre R$ 60 e R$ 70 milhões, na soma de repasses aos 24 deputados.