O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, afirmou hoje (5/12), depois de encontro com o embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada, que o Ministério do Meio Ambiente quer fortalecer a cooperação técnica entre os dois países, por meio de novos projetos, em especial em matéria de tecnologias de sensoriamento remoto para fins de monitoramento do desmatamento, de desastres ambientais e de levantamento de recursos naturais.

“A fiscalização é essencial para evitar a perda da cobertura florestal na Amazônia, embora não seja suficiente para manter ‘a floresta em pé’, o que implicará em programas de desenvolvimento sustentável e de valorização do bem ambiental”, afirmou o ministro. Sarney Filho lembrou que o uso de medidas de comando e controle permitiu uma queda de 16% do desmatamento do bioma entre 2016/2017.

Ele adiantou que o MMA tem interesse de aprofundar a cooperação técnica de disponibilização das imagens do satélite japonês ALOS (Advanced Land Observing Satellite), lançado pela Agência Espacial Japonesa (JAXA).

O satélite permite observar e obter imagens de todo o planeta, podendo gerar imagens mesmo sobre regiões cobertas por nuvens e à noite, para fins de monitoramento do desmatamento, de desastres ambientais, levantamento de recursos naturais e de suporte à cartografia.

Em agosto passado, o Ibama submeteu ao governo japonês, por meio da agência ABC/MRE e no âmbito do programa bilateral Brasil-Japão, o projeto intitulado “Projeto de Capacitação para detecção em Tempo Real de Indicativos de Desflorestamento na Amazônia Brasileira a partir das imagens do ALOS-2”. No momento, aguarda-se um posicionamento favorável do governo japonês sobre o projeto.

CONFERÊNCIA DO CLIMA

O ministro e o embaixador também falaram sobre os resultados da Conferência do Clima, a COP 23, realizada em Bonn, na Alemanha, no mês passado. Sarney Filho afirmou que o encontro mundial sobre o clima foi importante pelo fato de ter impedido “retrocessos” na agenda ambiental. “A preocupação era muito grande, diante da recessão global e das posições do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Mesmo assim, houve algum avanço”, avaliou.

Durante a reunião com o ministro, o embaixador afirmou que o Japão quer trabalhar com o Brasil para a implementação do Acordo de Paris. Akira Yamada também reforçou o interesse de seu país de participar do 8º Fórum Mundial da Água, que ocorrerá em Brasília de 18 a 23 de março de 2018 e terá como tema principal “Compartilhando Água”. Ele adiantou que o Japão participará com expositores no pavilhão que será montado durante o evento.

Também foi destacado na reunião o interesse do Brasil de conhecer os modelos de gestão e as formas de tratamento e disposição final de PCBs (bifenilas policloradas), visando implementar as ações previstas na Convenção de Estocolmo sobre Poluentes Orgânicos Persistentes.