O presidente do PMDB de Mato Grosso, deputado federal Carlos Bezerra, assegurou que jamais autorizou ato ilícito ou fraude em licitação da reforma e ampliação do Aeroporto de Rondonópolis. O certame licitatório foi vencido pela empresa Ensercon e atualmente o processo se encontra em inquérito admitido pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), porque deputado federal possui foro privilegiado.

Carlos Bezerra afiançou via assessoria que não sabe de nada sobre o episódio e que quem deve explicações é o ex-governador Silval Barbosa (ex-PMDB), responsável pela delação premiada que colocou os principais líderes políticos, empresariais e dos dirigentes dos poderes sob investigação do STF.

Carlos Bezerra enfatizou que, em quatro décadas de vida pública, sempre pautou sua atuação pela lisura e decência, estranhando que novamente alguns tentem envolver o seu nome em supostos ilícitos. “Tenho uma história de luta em defesa da moral e da decência. Ele [Silval] é quem é réu confesso e deve explicações”, pontuou, para a reportagem do Olhar Direto.

Via assessoria, Carlos Bezerra afirmou que não sabe ao certo do que é acusado e que aguarda a convocação do STF para apresentar a sua defesa, no tempo e foro adequado. “Nada tenho a temer, porque jamais fiz nem mandei fazer coisa errada”, emendou Bezerra.