O iPhone comemora 10 anos em 2017 e, aparentemente, não é somente o aparelho, mas também algumas ideias para que ele se torne um destaque ainda maior em meio aos concorrentes. Assim, um dos possíveis recursos do aguardado iPhone 8, o sistema de reconhecimento facial, também pode estar celebrando uma década de vida neste ano.
Em março deste ano, a Apple registrou uma patente relacionada ao reconhecimento facial, mas ela é uma variação de duas patentes mais antigas registradas pela empresa, uma de 2013 e outra, de 2007.

A patente de 2013 é mais clara em relação ao reconhecimento facial em si, mas a de 2007 já tratava de “sistema de autenticação embutido em um dispositivo eletrônico”, indicando que a intenção da companhia não é exatamente recente.
Segundo o site Apple Insider, porém, a patente de 2013 é uma atualização daquela mais antiga, tendo a Apple apenas mudado alguns trechos da descrição do conteúdo registrado, mantendo intacto diversas seções, como sumário e parte da descrição detalhada. Assim, um futuro sistema de reconhecimento de rosto para destravar o iPhone terá as suas raízes lá no agora longínquo ano de 2007.

Apple desenvolve há anos o sistema de reconhecimento facial para o iPhone.

Touch ID ou não?

A Apple já conta com um sistema de destrava biométrico, o Touch ID, que fica embutido no botão Home e lê a digital do usuário. O recurso é comum e se tornou quase um padrão do mercado, mas ele está em xeque no iPhone 8, visto que a Maçã ainda não está satisfeita com o desempenho do recurso.

As notícias de que a empresa tem encontrado problemas neste aspecto retornaram nesta semana. Apesar disso, há também vários rumores de que a Maçã deve mesmo implementar um sistema de reconhecimento facial 3D no dispositivo, e eles voltaram à tona no início de julho.

Para saber quais as apostas da Apple para este ano quanto à segurança de seus usuários, entretanto, será preciso esperar pelo menos até setembro, quando o aparelho deve ser oficialmente anunciado.