A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) declarou de utilidade pública (DUP) as faixas de terras no Norte de Mato Grosso destinadas à construção da hidrelétrica Sinop, mais especificamente as áreas particulares destinadas à implantação do canteiro de obras, em Cláudia e Itaúba o que, na prática, dá benefícios para implantação do empreendimento. O reservatório com 337 quilômetros quadrados (33,7 mil hectares) deve abranger também Ipiranga do Norte. O montante de famílias atingidas não foi divulgado, mas os processos de compensações estão em andamento.

Em março, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) liberou a Licença de Instalação da usina. Com isso, a empresa vencedora da concessão tem “carta branca” pra iniciar as obras efetivamente. A confirmação foi feita pela Associação dos Municípios Impactados por Usinas (AMIU).

O contrato das obras da usina foi assinado e a nova previsão é antecipar de janeiro de 2018 para maio de 2017 o início da operação. A expectativa é que as obras comecem ainda este semestre, com projeção de proporcionar até 3,2 mil empregos diretos e, 12 mil indiretos no decorrer dos trabalhos. O projeto demanda pelo menos R$ 1,777 bilhão em investimentos, com preço médio da energia a ser gerada de R$ 109,40 por megawatt-hora (Mwh).

A usina de Sinop tem capacidade instalada para gerar aproximadamente 400 megawatt, que correspondem a aproximadamente 1 milhão de geladeiras funcionando ou a 4 milhões de lâmpadas de 100 watts acesas simultaneamente.