A Chuva

 

ab5202ae1028e6cfffff8031ac1e1e75_1

 

 

A chuva cai de mansinho

Curto todos os pingos seus,

Assim como curto você,

Quando estas nos braços meus.

 

Na Amazônia a noite desce,

Passa o sino a badalar,

Anunciando a ave- Maria.

É mais um dia a findar.

 

À noite a chuva caindo,

Passo horas a meditar,

Que o prazer dos prazeres,

É ter você para amar.

 

A chuva continua caindo,

Curto todos os pingos seus,

Assim como curto você,

Quando estas, nos braços meus.

       Autor: Antônio Benito Signor